7any13


Contos de fadas são a pura verdade: não porque nos contam que dragões existem, mas porque nos contam que eles podem ser vencidos.
 
InícioPortalCalendárioGaleriaFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 RPG-raças

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Admin
Admin
Admin
avatar

Mensagens : 41
Pontos : 5021
Reputação : 0
Data de inscrição : 11/02/2011

MensagemAssunto: RPG-raças   Dom Maio 08, 2011 2:43 pm

ELFOS:
Os elfos, conhecidos pelas suas orelhas pontiagudas, vivem principalmente nas florestas. São mais resistentes que os humanos e têm capacidades físicas muito melhores que estes. Chamados de O BELO POVO, são de facto tão belos que dificilmente se distingue o rosto de um homem de uma mulher. São vegetarianos e sofrem com os danos provocados na Natureza. Dominam a magia desde cedo e conseguem alterar a sua aparência. Também sabem manobrar armas com grande destreza, e preferem arcos ou espadas. Não vivem eternamente, pois, geralmente, depois de vários séculos, são atingidos por uma doença grave ou vão enfraquecendo. É raro haver crianças elfo, mas não é necessário devido ao facto da longivitude destes ser prolongada. Acreditam no amor verdadeiro.
FADAS e PIXIES:
As fadas e as pixies são constantemente confundidas por ambas terem asas. A grande diferença é que, enquanto que as fadas são do tamanho de um humano, as pixies não são maiores que o indicador de um adulto, variando entre o tamanho de um colibri e de uma abelha. As fadas e as pixies não fazem com que as asas desapareçam quando querem: As pixies nascem com as asas, mas as fadas não. Vão crescendo lentamente, invisíveis para os humanos, no início muito sólidas. Depois, vão-se desmaterializando, mas não deixam de ser um membro. Dotadas de uma magia tão potente como a dos elfos, relacionam-se muito bem com estes. Nem todas são bonitas e ambas têm um temperamento vingativo, são sensíveis e impulsivas. Amam voar e quase todas têm um dom. As pixies gostam de casinhas pequenas e acolhedoras. As varinhas mágicas são apenas meio de canalizar mais poder. Os humanos não costumam conseguir ver as asas das fadas.


DELTRAM:
São os habitantes do céu, os deltram têm asas de anjo desde nascença que vão aumentando com o passar dos anos, pelo que são constantemente tomados por um. A diferença é que os anjos não são materiais e têm asas de luz. Também há quem os confunda com fadas. Há 3 variantes de asas: Somente de penas, com membranas ou mais finas como de uma fada. Um boato diz que as asas de cada dependem não da linhagem mas do carácter do deltram em questão. São um povo pacífico, só lutam com magia e a principal actividade é o comércio. Procuram dominar os céus e escapam ilesos a qualquer doença. Vivem cerca de quatrocentos anos e com o passar destes, a sua pele vai ficando cada vez mais clara, quase branca, dando-lhe um ar transparente. A sua magia está ligada à luz e à noite perdem forças. Vulneráveis a incêndios ou raios.

NOAGAS:
Os Noagas são semelhantes aos humanos, mesmo na longevidade. O que difere uns dos outros é a sua cor. Os Noagas tem a pele ou azul, ou roxa, rosa ou verde, dependendo do país. O sangue é da cor da pele. São guerreiros nobres, e vão buscar energia para os feitiços ao que os rodeia. Fracas condições físicas, amigos dos elfos e dos humanos.

VAMPIROS:
Alguns boatos dizem que os vampiros bebem o sangue humano e têm medo da luz do sol. Tal é apenas uma meia verdade. Os vampiros podem beber sangue de animais e aguentam no máximo 3 meses sem o beber. Um vampiro recém-criado tem olhos vermelhos, um que bebeu sangue à pouco tempo tem-nos dourados e são negros ao fim dos 3 meses. São de uma palidez bela, e toleram o sol, ainda que, exposta a este, a sua pele se torne áspera. Não são capazes de sonhar. Muitas vezes vivem sozinhos ou em pares. Os clãs mais numerosos raramente ultrapassam sete membros. Há apenas uma forma de criar vampiros: Como estes não têm filhos, os humanos devem ser mordidos, sem que o vampiro que o fez beba o sangue. Algumas criaturas perdem as características da sua antiga raça após serem mordidos e passarem por uma transformação dolorosa: Orelhas em bico, asas, chifres... As asas são a característica que é mais comum ficar. São ainda mais rápidos que os elfos, mas são incapazes de usar magia.

HUMANOS:
Os seres humanos têm uma força média que vem crescendo ao longo da sua formação, muitas vezes rigoroso. Alguns conseguem fazer magia, mas, a não ser que descendam de alguma raça mágica ou sejam treinados por feiticeiros, os seus poderes são mínimos, manifestando-se quase somente na medicina. Os seres humanos têm uma rapidez deplorável e estão entre as raças mais lentas. A sua expectativa de vida também é baixa, raramente ultrapassam os oitente anos. Dedicam a sua vida ao comércio, à aprendizagem, e arriscam tudo para descobrir ou conseguir coisas novas. São uma raça pouco tolerante mas empenhada. Têm bons relacionamentos com os noada, respeitam muito os elfos e dão-se bem com qualquer outra raça. Não gostam de vampiros e dificilmente pensam como um Todo.

MÁGICOS:
As mágicos são antigas humanas, que tinham dons mágicos desde pequenas, e por isso tornaram-se fadas. Mas ao contrário destas, desistem das asas para prosseguir com a aprendizagem passando por feiticeiras. Por esse motivo, têm vários hábitos, tanto humanos, como élficos ou típicos de feiticeiros, hábitos esses que não citarei, podendo por isso usar ou não um angreal. Desfazer-se das asas é doloroso e nem sempre aquela que o faz quer aprender. Simplesmente tem a necessidade de aprender. Os mágicos da Terra não são mágicos, apenas humanos que recorrem a truques e criam ilusões. Nunca se deve confundir o termo Criaturas mágicas com Mágicas. São extremamente raras: Em cada 2 anos, há apenas cerca de 20 ou 30 em todo o mundo. Também são muito sábias e poderosas.

DRAGÃO:
Os dragões podem ter vários tamanho, várias cores, maneiras de atacar e alimentos diferentes, dependendo da descendência, habitat e do tipo. Há 2 tipos: Selvagem, ou seja, não aceitam ordens, não falam muito,podem ser ferozes e fazem o que bem lhe apetece; ou Doméstico, ligado a um cavaleiro. São necessários 36 meses para que o ovo possa eclodir, mas num dragão doméstico, ele espera no ovo até que sinta que quem o tem nas mãos é a pessoa ideal para se tornar seu cavaleiro. Ao primeiro toque entre ambos, forma-se uma marca no cavaleiro- a Gedwëy ignasia. Seis meses é o tempo que demora até um dragão ser adulto. Só se deve montar um dragão depois de ele ser adulto. Cavaleiro e dragão comunicam em pensamento, têm as mentes interligadas mas o dragão pode comunicar com quem quiser. Têm escamas, uma língua que magoa e cospem fogo, e os seus pontos fracos são as asas, a barriga e a garganta. Há dragões da água que podem ou não ter asas e cospem gelo, e dragões de fogo, dragões celestes que lançam labaredas. Estes últimos têm um porte mais poderoso e devidem-se em várias subspécies, incluindo algumas que não sabem voar ou que têm várias cabeças.

FEITICEIROS:
Os feiticeiros eram humanos que descobriram os seus dons um pouco mais tarde que as fadas, ou os mágicos. Dificilmente aprendem por si próprios, agem separadamente e, ao contrário dos elfos, não partilham os mesmos sentimentos. Para canalisar(fazer magia), necessitam de um angreal, geralmente uma varinha, a não ser que sejam extremamente fortes. Se ainda forem novos, vão para uma escola, onde são devidamente ensinados. Gostam de vestir mantos ou usar trajes sóbrios, e, por voarem em vassouras, confundem-nos com bruxas. Há muitas histórias em torno deles. Os feiticeiros mais poderosos podem ser chamados de magos.

CENTAUROS:
Os centauros viviam nas montanhas onde habitavam em 2 familias divididas. O centauro é uma raça com o tronco e cabeça humana e o corpo de cavalo e é a figura do signo de Sagitário. Os centauros são fiéis e sábios e são conhecedores da ciência, astronomia, prevêm o futuro e são bons guerreiros, e também são deuses em relação á Medicina embora muitos destes sejam selvagens e bárbaros.
Alguns elfos e centauros são muito unidos, dividem cidades e plantações. Como os Elfos, são muito festeiros, mas quando o assunto é guerra... Levam o assunto mais a sério do que qualquer Elfo!

MEDUSA:
Esta era uma das irmâs Górgones, mas a única que era mortal. Medusa orgulhava-se de sua beleza até que se comparou á Deusa Atena. Sabendo disso, furiosa, Atena transformou os cabelos de Medusa em Serpentes e fez com que seu olhar petrificasse qualquer um que olhasse para os seus olhos. Diz-se também que o modo de vida que as três irmâs tinham, aborreceu os Deuses, principalmente Afrodite e como castigo transformou-as em monstros. Perseu matou Medusa, olhando-a por um espelho, e da ferida do sangue desta nasceu o Pégasus.
FÉNIX:
Trata-se de uma ave lendária com patas de ouro e cujas penas são avermelhadas. É um dos animais mitológicos mais belos que continuavam a viver após a sua morte renascendo das próprias cinzas. Diz-se que podia viver apenas uma Fénix de cada vez atingindo em média de 500 anos e que sua voz era tão bela que tal drama causava tristeza noutros animais e estes morriam. Quando esta pressentia a sua morte, criava uma pira ou uma fogueira com ramos de canela, mirra (Desta árvore obtém-se incenso e a sua resina serve para medicamentos) e sálvia (Uma planta ou arbusto usada para condimentos e ervas medicinais) e nestas chamas morria. As lágrimas da fénix curam qualquer coisa, excepto a morte. Costumam viver em florestas, mas podem escolher ter donos.
CÉRBERUS:
Cão de 3 cabeças que guarda o inferno e mata quem quer que se aproxime. De olhos abertos dorme e de olhos fechados está acordado, é tão monstruoso como qualquer cão de 3 cabeças. Tem cobras em redor do pescoço e os fantasmas só o conseguem acalmar deixando-lhe bolos de mel ou tocando música.
UNICÓRNIO:
O Unicórnio é um cavalo branco, com sangue prateado e com um chifre de ouro no meio da testa. Este animal é dócil e diz-se que dificilmente se consegue tocar nele, embora as mulheres virgens tenham mais hipoteses de o fazer. Segundo a lenda, quem consegui-se beber o seu sangue, ficaria com a sua vida prolongada mas também amaldiçoada vivendo apenas do seu sangue. São muitos que tentam capturar o Unicornio mas em vão, pois este ser dá-se apenas a quem esteja disposto a encontrar o seu verdadeiro amor. Convivem com fadas e elfos. Ele nasce dourado, fica prateado e por fim branco puro. Vivem em florestas e pressentem o bem e o mal. Conseguem curar e se o chifre for dissolvido em pó, até ressescitar os mortos. Os machos têm uma barbicha e nem todos os unicórnios escondem uma gema por baixo do chifre. Os que o fazem podem ser chamados de alicórnios.
PEGASUS:
Cavalo alado, o primeiro nasceu de sangue de medusa e foi criado por Atena. Só mais tarde, livre, se começaram a formar lendas a seu respeito. Voa pelos céus e esconde-se nas nuvens, é quase tão raro como um Unicórnio. Há pegasus de vários tonalidades, em especial branco. Já acasalaram com Unicórnios, casos esses em que nasce um unicórnio alado. Enquanto que o primeiro era o mais belo e o mais imponente, os restantes são ligeiramente menores, do tamanho de um cavalo normal, e já não têm cascos fendidos.

CHANGELINGS:
Os changelings surgiram no folclore Europeu, raptam crianças e assumem a forma destas. Alimentam-se dos pais. Tornam-se adultos ao sugar a vida de uma mulher pela nuca. As crianças e mulhares sequestrados tornam-se escravos. Os changelins temem fogo e metal, e podem ser descobertos em espelhos.
BANSHEES:
As Banshees podem aparecer de várias formas para avisar quando as pessoas irão morrer. Podem aparecer como velhas horrorosas assustadoras com os seios caídos e asas esfarrapadas como as de morcegos, ou com a forma de corvos, ratazanas ou lebres negras, mas também aparecem como uma mulher bela, ainda que com a roupa manchada de sangue. Diz-se que não são más. São apenas uma antiga fada madrinha que endoideceu com a perda dos seus protegidos.

BRUXAS E MAGOS:
As bruxas costumam ser associadas a um nariz adunco, rugas e verrugas, mas não são assim. Isso são magos alquimistas, que alguns tratam, erradamente, por feiticeiros. Bruxa pode ser o nome feminino de feiticeiro, mas não é o termo correcto e uma bruxa assério voa num ramo de pinheiro nuvem, também faz poções, está ligada ao gato preto e é a guardiã da noite. Muitas mulheres, acusadas de o ser, foram queimadas vivas na idade média. Os magos são geralmente curandeiros, percebem de elixires e nem todos têm um aparência exótica. Ambas as criaturas conceguem hipnotizar, se tiverem sido treinadas. Diz-se que a sétima filha de uma mulher será bruxa, mas é um facto não-confirmado.

HOMENS GATO:
Os homens gato(WERECATS) são gatos que se transformam em pessoas, e vice-versa. Podem assumir qualquer forma de felino, mas é sempre o mesmo. Diz-se que são magos, bruxas ou metamorfamagos que o fazem, mas tal facto não foi ainda comprovado. De momento, estou à espera de umas informações oficiais acerca das origens dos homens-gato.

HIPOGRIFOS:
Os Hipogrifos têm cabeça de águia, corpo de leão, patas traseiras de cavalo e dianteiras de águia, asas e a cauda pode ser de cavalo ou leão. Nascem do cruzamento entre Grifo e Égua. São mais velozes a voar que o pai e fáceis de domar, mesmo pelos humanos. Basta olhar-lhe nos olhos sem pestanejar e fazer um vénia. Se ele retribuir a vénia, podemos montá-lo. Os hipogrifos escavam à procura de insectos, mas comem igualmente aves e pequenos mamíferos. Na época de acasalamento, fazem um ninho no chão e aí depositam um único ovo, grande e frágil, que choca em vinte e quatro horas. O filhote de hipogrifo está pronto para voar uma semana depois, embora ainda vá levar meses para poder fazer viagens longas.
GRIFO:
Os Grifos têm corpo, orelhas, cauda e patas traseiras de leão e o resto de águia. São por isso reis do céu e da Terra, costumam fazer os ninhos perto de tesouros seus, com ovos de ouro ou Ágata. Simbolizam o signo Libra, amigos das Fénix e inimigos mortais dos basiliscos. Acasalam com Éguas e originam Hipogrifos, ou com Grifos Femea, originando Grifos sucessivamente menos poderosos.

SEREIAS:
As sereias são seres subaquáticos metade mulheres, metade peixe. Têm longas caudas que podem ser de várias cores e longos cabelos, cantam bem e, apesar de na mitologia elas atraírem os homens para a água, tal não significa que todas o façam. Na verdade, são muito poucas as que o fazem. Algumas acasalam com os homens, raramente os deixando vivos, e ninguém sabe como o fazem. As sereias podem ter asas se descenderem de fadas, ou orelhas pontiagudas, de elfos, mas ambos os casos são pouco prováveis. Vivem na água, em grutas ou civilizações feitas por elas e respiram facilmente dentro e fora de água, apesar de neste último local não aguentarem mais de algumas horas. Costumam ter cabelos compridos e olhos grandes. As sereias macho chamam-se tritões, e também podem acasalar com sereias, originando assim outra. Se a sereia acasalar com um homem origina uma ondina.

ONDINAS:
As ondinas, confundidas com sereias, habitam todos os tipos de água. Parecidas com estas, são suas filhas e seres puros, com cauda de serpente, que limpam as águas retirando a energia destas e transfomando-a em luz, para que os outros se apercebam delas. Podem assumir pernas ou cauda, conforme desejarem. Ajudam a natureza e cantam como as sereias.

FAUNOS:
Os faunos são criaturas metade bode(ou cabra), metade humanos, com chifres. As fêmeas têm pelagem azulada. São conhecidos por ser a manifestação dos espíritos da floresta, viverem com os animais e conduzirem homens perdidos, se estes tiverem essa necessidade. Costumam dançar juntos, em roda, à noite, ou tocar flauta ou arpa para convocar espíritos. São muito solitários, raros, alegres, inteligentes, e há quem os tome por líderes da floresta. São seres não-mágicos, valentes e românticos.

DRÍADES E NINFAS:
As dríades são ninfas associadas aos carvalhos. Nascem ao pé da sua árvore e morrem com ela. As dríades de outras árvores chamam-se hamadríades. As ninfas vivem geralmente na água, mas também na Terra, e são semelhantes a deusas femininas. Fazem muitas vezes papeis românticos com os faunos, com quem se dão bem. Um boato diz que elas podem ter uma espécie de cauda imaterial, sem uma barbatana na ponta, e levitar. As EPÍGEIAS são ninfas do cultivo, as EFIDRÍADES da água e as MUSAS, diz-se que são filhas de deuses gregos. Têm figura humana e são geralmente muito brancas.

ACRUMÂNTULAS:
Aranha gigante com oito olhos e dotada de fala. Tem o corpo coberto por pêlos
pretos e grossos e pernas com envergadura com até 4 metros. A fêmea é maior
que o macho. São carnívoras.
BASILISCO:
Uma cobra verde esmeralda com até 15 metros de comprimento. Os machos têm uma pluma
vermelha na cabeça. As presas são muito venenosas, mas sua arma mais letal é
os olhos, grandes e amarelos, que matam ou petrificam, no caso de não serem vistos directamente. Só podem ser controlados por ofidioglotas (quem
pode falar com cobras). Nascem, como a cockatrice, de um ovo de galinha, mas chocado por uma rã e uma cobra.

LAMIA:
A lamia é metade mulher metade serpente, que devido a uma história triste é quase vampira, pois suga o sangue, atrai os jovens, e engana os fantasmas.
HARPIA:
As harpias são criaturas monstruosas, com rosto de mulher e corpo de águia, e são a personificação da fome, doença, guerra e outros males. Diz-se que guardam o mundo dos mortos.
WYVERN:
O wyvern é representado geralmente com o corpo no chão e asas estendidas. É uma espécie de dragão menor, que alguns acreditam não cuspir fogo. Têm apenas duas pernas e a cauda pode ser venenosa. Significam infortúnio em África.
MANTÍCORA:
A mantícora tem corpo de leão, cauda de escorpião com espinhos que são venenosos e deixam a presa indefesa e, por vezes, asas. O nome significa predador com espinhos, e estes podem ser lançados até cem metros de distância. O rosto é, a crer nos boatos, de homem. Apenas o elefante não é afetado pelo veneno da mantícora.
CHIMERA:
A chimera descende de vários animais, geralmente apresenta ser pelo menos um misto de Cerberus com Hidra. Pode ou não cuspir fogo, ter corpo de cabra, de leão ou de serpente, ser venenosa ou não e ter cauda. Mais uma vez, depende da descendência.
KELPIE:
O kelpie é o oposto do cavalo de fogo. Geralmente assume a forma de um cavalo preto que, acredita-se, assombra a Escócia. Gosta da água e do nevoeiro, e mostra-se aos humanos como um lindo cavalo branco, para que estes o montem. Aí, arrasta-os para a água. A única maneira de o reconhecer é pela crina molhada.

DUENDES, GNOMOS E ANÕES:
Essas 3 criaturas são frequentemente confundidas, e os elfos também são metidos ao barulho. Os anões e os gnomos são relativamente pequenos (são, no máximo, do tamanho de uma criança de 11 anos). Os anões são extremamente duros, não gostam de alturas nem de elfos, costumam ter barbas compridas, vivem nas montanhas, fazem banquetes e são óptimos numa forja. Os gnomos parecem-se com anões de jardim, são brincalhões e dão-se bem com as crianças, mas podem ser muito maus se assim o entenderem. Fazem o que bem lhes apetece e a sua raça não se rege por nenhuma lei. Os duendes são do tamanho de uma pixie e dão-se bem com estas. Não têm rotinas muito diferentes dos Anões e Gnomos, na verdade, se não fosse o tamanho seriam um misto de ambas as raças. Dividem-se em selvagens e domésticos e são facilmente ofendidos. Gostam de ajudar e brincar.

LOBISOMEM:
Diz-se que os lobisomens só se transformam nas noites de lua cheia e que, para alguém se tornar num, foi mordido por outro lobisomem. É verdade... se for lobisomem puro. Há muitas referências a lobisomens falsos, que se transformam quando querem, não são impelidos a morder e também nunca foram mordidos, sendo-o por uma questão de descendência. Numa alcateia, há um Alpha e um Beta. O Alpha é aquele em cuja descendência há mais lobisomens e o Beta está mesmo a seguir. Cada lobisomem tem a sua personalidade pois na maior parte do tempo são humanos. Quando um lobisomem puro se transforma, fica possuído, mas um impuro só o fica se quiser.

MINOTAURO:
O minotauro é um ser monstruoso da mitologia grega, meio homem e meio touro, nascido de Pasifae e de um touro branco enviado por Poseidon. O minotauro alimentava-se de carne humana, não se sabe como fez para a raça se reproduzir.
CICLOPE:
Um gigante com apenas um olho, não possui inteligência desenvolvida e é muito forte. Muitas lendas contam que eles matam apenas por diversão. Os ciclopes costumam viver em grutas para venerarem o seu pai.
GOBLINS e ORC'S:
São criaturas verdes de tamanho pequeno, globlins grandes são chamados orc's ou urk's. São pouco inteligentes, a maioria deles são bárbaros ou ladinos, também há alguns guerreiros entre eles.
GIGANTES:
Como o nome diz, são humanos gigantes, que podem ir desde o tamanho de uma árvore ao de uma montanha. Nascem com aspecto adulto, apenas menores que os progenitores e proporcionais, ainda que algumas lendas digam que têm a cabeça grande. Graças à sua grande estatura são atribuídos a gigantes grandes força e resistência, algumas vezes são retratados como burros e ignorantes e outras como inteligentes e até amigáveis.
TROLL:
Um misto de gigantes e Ogres, são fortes e solitários. Agressivos, burros, alguns transformam-se em rochas e vivem nas montanhas. Adultos aos 30 anos, não vivem mais de 75 e falam o triolla mûn.
OGRE:
Os ogres são um pouco mais altos que os humanos, podem comer carne humana e a sua pele tem um tom cinzento-esverdeado. Habitam as florestas e são fortes e agressivos, pouco inteligentes ou não, há muitas variedades.

KRAKEN E COCKATRICE:
Duas criaturas raras, o Kraken é uma lula gigante que se dedica a afundar barcos. Isto é, aqueles que poluíam o mar. Diz-se que contolam os oceanos e muitas vezes, as culpas dos seus feitos são atribuídas a sereias. Há quem diga que a cockatrice é uma quimera completa, mas na verdade é um réptil alado com uma serpente na cauda. Nasce de um ovo de galinha chocado por uma rã, pelo que pode ser meio répti,l meio galinha ou galo, mas isso é muito raro. Petrifica quem quer que o olhe nos olhos, mas nunca mata.

FANTASMA:
Os fantasmas são as almas (ou espíritos) de um ser humano ou animal que morreu e que podem ser vistos pelos vivos. Também se podem manifestar por sons, tentando arrastar objectos ou provocando arrepios. Diz-se que são eles que escolhem entre ser fantasmas ou seguir em frente e, nesse caso, não ser nada e ir com a alma para o céu, como diz a igreja. Há quem acredite que vão para o inferno ou mundos diferentes. A arte de os convocar é a NECROMANCIA.
SALAMANDRA:
As salamandras são anfíbios reais que têm o poder de viver no fogo e de extingui-lo. O mesmo nome foi dado aos elementais do fogo pelo médico e alquimista Paracelso no seu Tratado sobre os Espíritos Elementais, de 1566. O nome vem do grego salamandra, talvez derivado do persa sām, "fogo" e andarūn, "dentro de". Nascem do fogo e, apesar de não serem muito perigosas para quem faz magia, derrotam-se facilmente com água, desde que se tenham apagado as chamas de onde nasceu, para não pegar fogo novamente. Depois é só matá-la com uma espada ou outra arma.

CAVALO DE AGUA E DE FOGO:
O cavalo de água é semelhante ao Kelpie, porém possui um pescoço mais alongado e pelagem azulada, e em vez de cascos tem barbatanas. Têm um grande porte e cauda de dinossauro ou sereia. Pode camuflar-se tornando-se parte da agua. Outra das diferenças é que habita mares e lagos, não rios e águas torbulentas. O cavalo de fogo parece um cavalo perfeitamente normal, cor de cinza, de porte altivo... Porém, quando corre torna-se fogo puro, apesar de não incendiar os locais por onde passa. É perigoso, pois pode passar despercebido, e impulsivo. Belo, é fiel aos que lhe querem bem.

GREMLIN:
Os gremlins são criaturas semelhantes aos goblins, mas do tamanho de um anão. Esverdeados, com orelhas grandes e escamas, olhos grandes oblíquos e pele enrugada. Vive em manadas nomadas, sabe usar algumas das armas mais simples. Rápidos, traiçoeiros, por vezes usam umas armaduras simples, de couro, nunca completas. Vivem apenas do principal.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://anilyan.forumeiros.net
 
RPG-raças
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
7any13 :: RPG-
Ir para: